06 maio 2014

A maldição do tigre - Colleen Houck - Kelsey pira vendo barriga de macho.



"Se os tigres têm alma, e acredito que tenham, imagino que a dele seja triste e solitária. Olhei dentro daqueles grandes olhos azuis e sussurrei: Queria que você fosse livre." (pág 41)

Maldição do Tigre é o primeiro livro da série da Saga do Tigre da autora Colleen Houck. O livro conta a história de Kelsey e os irmãos Ren e Kishan, que se tornaram tigres depois de uma maldição. Kelsey conhece Ren em seu novo emprego no circo, e sente uma forte conexão com o tigre passando a separar parte do seu tempo para cuidar do grande felino de olhos azuis, e não, isso não se trata de uma zoofilia.

Com certeza a primeira coisa que me chamou atenção neste livro foi a sua capa instigante, sem dúvidas muito bonita, o que me fazia ficar horas admirando esse beleza. De início não tive interesse em ler esse livro pelo fato de envolver a mitologia Indiana... Acontece que a autora faz com que você se apaixone incondicionalmente, depois da leitura simplesmente me apeguei a cultura Indiana em vários aspectos.

A história é narrada por Kelsey, que acaba de completar 18 anos, e não pude deixar de observar como ela é totalmente lerda e sem noção, o que quero dizer é que ela não possui controle da própria mente, porém isso se passa por ela ser uma menina imatura e sem experiência, talvez tenha sido isso que a autora tentou passar ao leitor ao longo do livro, percebi que a imaturidade dela foi um canal para que ela realmente amadurecesse nos outros livros da saga, Kelsey foi a única personagem que eu não consegui ter uma afinidade ao contrário do Senhor Kadam, meu personagem preferido, é ele o cérebro da história, fazendo de tudo para que a maldição seja quebrada, assim como Kelsey porém como disse gostei mesmo foi desse personagem.

Ren e Kishan, são os príncipes que foram amaldiçoados e com isso apenas conseguem assumir a forma humana 24 minutos por dia, o vilão da história não se faz muito presente ao longo do primeiro livro, com certeza o melhor foi guardado pro final!


Enfim, o mundo criado pela Houck me chamou bastante atenção e fui me apaixonando por como a autora trata a mitologia e o espaço vivido pelos personagens que ela expõe com muita clareza. Sua mente se abre pro mundo novo, uma nova cultura, modos diferentes de se relacionar, você termina de ler o livro dançando música indu no meio da casa. Para mim o fato de Kelsey ser imatura não é um caso a ser descontado da boa leitura do livro, como eu disse: a falta de experiência da personagem melhora nos livros seguintes da saga, sem falar que a história se torna engraçada quando Kelsey quase cai do tamanco toda vez que ver barriga de macho. Recomendo o livro numa nota de 9,5 pelo fato de romance ser um gênero que eu não goste, mas  Houck consegue fazer uma balanceada entre romance, mistério e ação.

/Thales

4 comentários:

  1. Também achei a Kelsey infantil mas isso torna a história engraçada kkkk morri de rir com a resenha husuhasuas

    ResponderExcluir
  2. "quase cai do tamanco toda vez que ver barriga de macho." kkkkkkkkkkkkk fiquei com vontade de ler principalmente pq aborda a cultura da india, amo muito.

    ResponderExcluir